Andes-SN repudia ações abusivas na Ufes

Enquanto ainda ocorria a sessão do Cepe na Ufes ontem, 13, o Andes-SN publicou matéria sobre a truculenta forma como manifestantes foram recebidos na Reitoria.
Em nota, a diretoria do Andes-SN defendeu a prática da participação coletiva nos processos decisórios. Leia a nota abaixo:

NOTA DA DIRETORIA DO ANDES-SN CONTRA AS AÇÕES ABUSIVAS NA UFES
             A Diretoria Nacional do ANDES-SN repudia a ação da gestão da Universidade Federal do Espirito Santo (UFES), que permite que a segurança da instituição seja realizada por um convênio com a Policia Militar (PM). Este Sindicato Nacional também repudia a arbitrariedade das ações da polícia contra professore(a)s, estudantes e servidore(a)s técnico-administrativo(a)s no seu direito legítimo e democrático de se manifestar nas dependências da instituição, bem como de expressar suas posições sobre o ensino remoto.
           O debate sobre os rumos da Universidade, modalidades de ensino e atividades a serem realizadas devem contar com ampla participação da comunidade acadêmica. Impedir a participação e o debate, colocar a PM para impedir a entrada na instituição pública, demonstram autoritarismo e desprezo à fundamentação da Educação, que deve sempre ser o diálogo.
            O debate democrático e a participação da comunidade acadêmica contribuem para a produção do conhecimento e da ciência. Nesse último período, com ações de solidariedade, e a presença de estudantes, servidore(a)s técnicoadministrativo(a)s e professore(a)s na reunião do Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão (CEPE), evidencia a preocupação das categorias com um processo de ensino e aprendizagem, pois as Instituições de Ensino Superior públicas devem contribuir para a formação de sujeitos sociais e não ser exemplos de autoritarismo e truculência.
                  Em tempos de tanta crise, desesperança e perdas por conta da pandemia do novo coronavírus, o ANDES-SN reafirma que as instituições de ensino devem ser o lugar de preservar a liberdade de expressão, incentivar a criatividade e autonomia do(a)s estudantes e produzir conhecimento, de forma a contribuir para a melhoria de vida da população e não para incitar a violência e incentivar o ódio e a intolerância.
                     A gestão da Universidade deve ter a capacidade do diálogo, para ouvir e construir os argumentos de consenso em prol do bem-estar da comunidade acadêmica, preservando sempre a prática da participação coletiva nos processos decisórios.
             Em defesa da autonomia universitária!
             Pelas liberdades democráticas!
Brasília (DF), 14 de agosto de 2020
                                    Diretoria Nacional do ANDES-SN

Leia o arquivo em PDF aqui

ANDES